segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Vontade da certeza


Por Joyce Boechat

Bate agora

Bate a vontade de sentir o que já sentia

Aquela vontade de saber o que já sabia

E ter a certeza do amor que eu vivia.

Amor que ainda vivo intensamente

Não só na integridade do pensamento

E sim na realidade do sentimento

Que aquece calorosamente meu coração

Fazendo-o transbordar em alegria

Desse sentimento que agora sorria

Por saber da verdade que eu já dizia.

O Tom das minhas palavras

Por Joyce Boechat

E se eu disser,

Que estou feliz com tudo isso

E não quero que acabe jamais,

Quero aprender ainda mais

Sobre tudo,

Tudo que eu posso saber sobre essa felicidade

Que arde em mim

Que arde ao te ver

Ao ouvir, tudo aquilo que são palavras

Palavras de amor e entendimento

Entendimento recíproco

De um amor que é vivido

E compartilhado

Trilhando história e aventura

E muito amor, sem ficção

Pois o amor é baseado em fatos reais.

Mesmo que depois

Por Joyce Boechat

O amor,

Mesmo que pulse intensamente,

Mesmo que te faça sorrir quando quer chorar,

Mesmo que em algum momento ele te faça sofrer,

Mesmo que você compare suas vontades,

Mesmo que ele te faça fazer coisas que nunca fez,

Mesmo que você ainda esteja de olhos fechados,

Mesmo que você não saiba o tamanho que já está,

Deve ser vivido intensamente,

Pois depois de lágrimas, vem sorrisos e abraços

Depois do sofrimento, vem o perdão e a reconciliação

Depois de fazer coisas que nunca fez, você vai ter aprendido

Depois de abrir os olhos, verá a recompensa

E se no fim, tudo for verdadeiro

Depois do amor, verá o eterno.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

MÃOS VALOROSAS


Dia 18 de novembro deste ano acenei o adeus ao corpo, agora frio, de minha mãe...
Um dia antes, ela deu adeus a existência, a uma sofrida existência...
No dia 16, enlutei-me ao vê-la, aos 78 anos, tão frágil...
Distanciando-se, por essa fragilidade, da vida ...
Naquela noite, peguei em suas mãos quentinhas ...

Lembranças muito boas sobrevieram enquanto deslizava suas mãos sobre as minhas...
articulei minhas memórias pensando nas mãos:

Mãos pedagógicas que conduziam ao saber;
paradoxalmente, de alguém que nunca tinha entrado numa escola como aluna...

Minha mãe aprendeu a assinar o nome e depois a ler na Bíblia...isso em casa...

Mãos fortes que nos encorajaram ao trabalho,
ética, justa e generosa...

Mãos de espiritualidade que nos revelaram Deus...
nunca dissociado da cultura e dos valores humanos

Mãos terapêuticas, que no abraço, no afago, no cafuné e no carinho,
nos trazia acolhida, cura pras dores...
dores de feridas infantis; das quedas, rasgos e contaminações...
dores de feridas adolescentes; das quedas afetivas,
dos rasgos dos sentimentos
e das contaminações emocionais dos outros...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Redação Poética

por Joyce Boechat Henrique
Moro onde não queria morar;
Estou onde não queria estar...
Porém, sou quem deveria ser.
Quero estar onde a dor não dói,
Onde não tenha saudade,
Onde o sol nasce e não morre,
Onde a sombra fresca te segue
E o amor não negue o destino de quem quer amar.
Desejo que a paz não me deixe,
E que a tristeza nunca venha...
Pois lá onde quero entrar, ela não pode ficar:
Nem tristeza, nem avareza,
Muito menos a riqueza dos homens do lado de cá.
A vida lá é mansa; não se ouve choro de criança,
Apenas risos a cantar...
Vozes trocam carinhos, poesias e elogios;
Enquanto aqui, só as ouço brigar.
Brigar por coisas banais, espaço ou status,
O que as leve para o mais alto lugar...
Por isso quero ir pra lá!

domingo, 4 de setembro de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Quando...



por Sara Boechat

Quando sabemos que dói, evitamos. Talvez seja por isso que não prestamos atenção nas pessoas que sofrem diferenças...





ILUSTRAÇÃO: http://vilamulher.terra.com.br/krespynha/a-dor-de-uma-traicao-9-3264539-1397-pf.php

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A NECESSIDADE DE PERDOAR

por Weverton Santiago


Perdoar é uma virtude que requer muito treinamento.


Exercitar o perdão é primeiramente experimentar a dor da decepção e a amargura dos sentimentos. É entrar na escuridão das incertezas e palmilhar o caminho sinuoso.
Este treinamento não é a roupagem do cinismo, não é a robotização das nossas emoções, muito menos a mecanização do amor.
[O perdão] ...serve justamente para pavimentar o caminho do amor e da compreensão.
Em minha precoce caminhada, experimentei na carne todos estes horrores.
Vivenciei as profundas agonias da traição, do abandono, do desprezo, do medo, da dúvida e outros sentimentos que aprisionaram a minha alma.
Fui ferido e também feri. Fui tomado pelo ódio e pela impaciência.
Então, comecei a exigir a perfeição que nem mesmo eu conhecia e ainda não conheço.
Fui tentado a desistir e convidado a cultuar o luto crônico em meu coração.
Fui intimado a celebrar a mágoa, o rancor e a vingança.
Enquanto calei, minha essência foi desconfigurada, meu espírito foi esmagado, minha face se apagou, minha existência foi petrificada e meu interior se tornou uma reserva avolumada da desesperança e da solidão.
Minha vida ficou sem sentido, meu mundo desabou e quando acordei estava andando sobre uma fina camada de gelo, pronta para romper-se e tragar-me para sempre.
Tudo isso me conduziu a uma estrada desconhecida, a um abismo sombrio, onde somente o eco das batidas sofridas do meu coração era percebido.
Este caminho é doloroso, é cruel, é uma fornalha que voluntariamente aflige a nossa alma e nos cega diante do calor da nossa própria maldade e mesquinhez.

Mas em meio a este quadro nebuloso, em meio a este mar revolto existia uma gota cristã, e esta venceu o bravo e incontrolável mar.
Um pequeno pingo encharcou a minha vida de doçura e graça que eu desconhecia.

Decidi trilhar o caminho da reconstrução e da restauração.
Decidi recuperar o tempo perdido e permitir que aqueles que me machucaram voltem a fazer parte da minha história e da minha nova caminhada, bem como receber a permissão de caminhar de mãos dadas com aqueles que eu também machuquei.
Decidi transformar as minhas ranhuras em belas sinfonias de amor e júbilo.
Decidi transformar o meu pranto em ações de graças.
Decidi transformar os meus traumas em lições.
Decidi tratar as pessoas como Cristo me trata, com graça e misericórdia.
Decidi colocar um ponto final na guerra que eu mesmo criei e declarei contra inocentes e culpados.

Quero a paz e a paz é consequência de quem aprendeu o sublime exercício do perdão.
Perdoar e ser perdoado, e assim, celebrar a vida, a graça, a doçura do evangelho e o brilho cristão em minha face, pois esta prática embeleza a alma e lança luz em nosso caminho.
E mesmo que as pessoas voltem a me machucar e eu as machuque, quero continuar com elas e por elas, para que a minha breve vida não seja manchada pela minha vaidade e escravizada pelo ódio que, homeopaticamente, produz separação e morte.
Na força do Evangelho da Graça eu quero caminhar quantas léguas forem necessárias, para que juntos sejamos um só corpo, naquEle que muito nos amou!

SOLUS CHRISTUS !!!
SOLI DEO GLORIA !!

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Quanto Custa ?

Por vezes, antes de qualquer investimento,
fazemos essa comum e mui conhecida pergunta:
Quanto custa?

Claro que pensar isso nos remete ao plano da
matéria, da coisa, do pragmatismo e do utilitarismo...
mas, quanto nos custa o afeto?

Quanto nos custa amar e ser amado...
quanto nos custa um carinho e uma atenção?

Se acaso se aborrece em pensar assim,
ou já se conjectura uma visão da prostituição das relações,

Questiono assim: quanto temos investido nos afetos que buscamos?


sábado, 23 de julho de 2011

Homenagem nossos melhores amigos


Outro dia foi celebrado o dia internacional do amigo.

Dizem que os cães são nossos melhores amigos.

Sempre me relacionei com cães. Fui ensinado, (eu junto com eles) na mais tenra infância, que eles são úteis. Tinha uns 3 anos de idade das primeiras lembranças com cachorrinhos da casa...

São úteis, mas... são carentes... amam nosso colo. Nosso olhar... nossa atençao.
Se alegram com o nosso cheiro ou nossa voz.

Fizeram uma pesquisa pra descobrir e provar cientificamente que os cães riem, até dão gargalhadas: eu já ria com eles muito antes dessas provas...

Queria que os humanos tivessem alma de cachorros... seriam mais fáceis de serem domesticados.

Amei amigos e amei cachorros, estes pouco me decepcionaram, já aqueles muito me frustraram.

VIVA A AMIZADE CANINA !!





sexta-feira, 22 de julho de 2011

metáforas gramaticais


Escrever...ler...escrever...

O que será melhor: a tinta ou o grafite?

O pensamento é a escrita dos afetos.
Enquanto os afetos são a leitura das experiências...

Deixe-se levar pela gramática da vida,
experimentar "regras gramaticais" da história...
erros acertados com borracha do perdão...

Melhor escrever à lápis? apaga mais fácil...
Escrita suave na alma.

Melhor escrever à caneta? documenta-se.
No borrão de apagar, rasga... fere...
perdeu-se a autenticidade...

Talvez o lápis seja melhor... não sei.

quarta-feira, 13 de julho de 2011




Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

http://www.tamojunto.org/2011/03/22/ou-isto-ou-aquilo/

ESCOLHAS


por Joyce Boechat Henrique
cada um tem sua escolha!

Vc escolhe o caminho de seguir, a roupa de vestir e ate oq pensar.
E deve, pois quem anda no caminho do outro nao faz sua historia.
Deus tem um plano na vida de cada um, basta buscá-lo e procurar saber se o caminho qe andas esta seguro e se Ele é presente!
Eu sei que Ele é presente na minha vida, mas sei que falho, por isso existe o perdão, qe Ele como pai, nos da.
Qe Ele como pai entregou seu UNICO filho para salvar as vidas de muitos que nao percebem seu amor, sua misericódia. Deus sabe de todas as coisas, Ele sabe o seu amanhã, nao se perca.
"Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus" Isaías 40;1

-Deus sabe de tudo, Ele conhece nosso coraçao. pra mim, isso que importa! s2;


"Ver os cravos nas mãos, seu corpo a sofrer
Naqueles momentos de dor.
Ver o mestre a chorar e foi por você
Que ele mostrou tanto amor.
Os soldados cuspiam no seu rosto nu...
Posso ouvir o clamor da multidão.
E Jesus a olhar aquele céu azul
Pede ao Pai que lhes dê o seu perdão.
Ele tanto amou, tudo suportou.
Ele carregou a nossa cruz.
"

quarta-feira, 1 de junho de 2011

SONHOS...



Sonho: "O sonho é uma atividade mental ligada a uma série de ocorrências que se sucedem durante a fase de sono REM dos mamíferos." (Dr. Flávio Alóe, neurofisiologista clínico, trabalha no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas)



Mas não é desses sonhos que refiro agora...


No filme "As pontes de Madison" aprendi que, mesmo quando nossos sonhos não se realizam, vale muito a pena tê-los sonhado.



A diferença entre sonho e projeto é que este tem data, como afirmou um amigo meu.



Trabalhamos pelos nossos sonhos, transformamos em projeto...



O sonho é a esperança em ação. Se não me permito ter sonhos, entao corro o risco de viver sem esperança... viver na des-esperança... não espero nada... isso é des-espero...