quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Continuar ou Cancelar?


A vida é construída de decisões que tomamos;
ou das consequências destas! Daquelas que amamos;
ou não!
A continuidade nem sempre é atrelado ao sentimento:
não é?!

Na infância não fazemos somente o que queremos, ou amamos;
e se o fazemos, desobedecemos; e, por vezes, sofremos...

Na adolescência, por mais rebeldes que sejamos, existem decisões
que são o que precisam SER, não o que amamos que seja.

De desejo cancelar, e o faço, abandono a trilha até aqui e me aventuro pelo
novo, pelo diferente; novidades sempre nos aguça a curiosidade
e nos propõe a aventura da adrenalina e outras sensações que nos
resgata uma juventude que o tempo nos rouba;

Se desejo continuar, e o faço, abandono a possibilidade de dobrar a esquina,
de ver quais horizontes se descortinarem numa nova visão...
Continuar é valorizar o percorrido e usar desse valor para
pisar com segurança o caminho das pedras.

Se faço o que não desejo, por vezes o faço porque busco certos resultados...
percebo assim que para continuar nas possibilidades do amor é preciso
des-amar o desejo!

sábado, 7 de agosto de 2010

Metáfora das asas


Hoje eu acordei com o canto do sabiá...
Abri a janela o ouvindo se expressar,
com sua voz linda e seu jeito de amar.

Sabiá, sabiá...
Você me faz lembrar os momentos de alegria
e esquecer os de amargura.

Joyce e Sara (aos 12 e 10 anos)

Dia dos Pais


Eu o perdi há 16 anos...

O título de temporão foi meu maior inimigo,
pois minha irmã mais velha já tinha mais de
40 anos e eu menos de 30 quando ele partiu.

levei 6 meses pra sepultá-lo, pois não tive a
oportunidade de fazer os ritos de despedida...
Me atrasei...

Numa certa noite, oniricamente, me despedi.
Foi bom, saudoso e amigável: as coisas entre
nós estavam bem resolvidas.

Depois disso, em fortes momentos de impasses,
ou intensas conquistas, produzia sonhos em que
nós estávamos juntos, felizes porisso...

Meu pai nunca morreu, ele só fugiu para os meus
sonhos...
tenho saudades dele...